04 julho 2011

fora de palco...(III)

Sim meu querido…sinto os nossos corpos quentes adornados pela chama da fogueira vibrante da paixão, olha meu bem-querer uma estrela cadente que brilha como o nosso amor, vou pedir o meu desejo e jamais dele falar para que não se desvaneça ao acordar da aurora, hoje contigo descobri  que o tempo é mágico, ou será que a magia acontece quando dois corações tocam ao mesmo compasso os acordes harmónicos  da harpa  do universo, pouco importa, pois revelaste-me que pelos mares da vida possam eles estar calmos ou revoltos, uma praia de areias cálidas vais encontrar, uma fogueira vais atear, para o nosso amor jamais arrefecer, hoje só quero ficar assim, abraçada a ti sentindo o crepitar da fogueira que escuto no bater do teu coração, sim…quero ficar nos teus braços até amanhecer.

(autoria de uma Amiga que quis participar no meu imaginário, dando voz ao amor sempre silenciado).

12 comentários:

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

É romântico o texto, mas faltou os teus detalhes... Mulher coloca um the end feliz logo e tu?
Hum?
Beijokas doces, retrato e uma semana de paz.

Paula Barros disse...

Interação de pensamentos. Interação de sentimento. Dar voz ao imaginário. Dar voz ao amor silenciado.

E ficou um texto lindo, que segue a linha dos seus.

abraços duplos.

brisonmattos disse...

Ficaste tanto tempo em cima do palco que eu não consigo mais te ver fora dele.São duas pessoas. Uma é pura razão, outra é loucura pura.Não há como juntar as duas...assim puramente.

Ma Ferreira disse...

Olá R.

Gostei muito da continuidade.. ela sua amiga escreve lindamente..mas que tal vc escrever o proximo??

Um bj

Ma

Multiolhares disse...

Há um poema de Vitor Hugo que acho lindo sobre o homem e a mulher deixo a parte final, penso que é nas diferenças que ambos se complementam, o homem aje com a cabeça a mulher com o coração.

"O homem é um oceano.
A mulher um lago.
O oceano tem a pérola que adorna.
O lago, a poesia que deslumbra.

O homem é a águia que voa.
A mulher é o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço.
Cantar é conquistar a alma.

O homem é um templo.
A mulher é o sacrário.
Ante o templo nos descobrimos.
Ante o sacrário nos ajoelhamos.

Enfim, o homem está colocado onde termina a terra.
E a mulher onde começa o céu".

e o palco é teu, aguardo o proximo momento dentro ou fora do palco
beijinhos

Vivian disse...

...a Luna e você numa sintonia
perfeita.

não poderia sair coisa melhor!

ambos poéticos e sensíveis.

bjs, queridos!

Ingrid disse...

que gostosa partilha..
resposta na sensibilidade certa..
beijos perfumados..

mfc disse...

O poema da Luna... sim que aquele texto é um poema, é de uma ternura rara!

Sonhadora disse...

Meu querido

Ainda estou visitando devagar, mas passei para deixar o meu beijinho...e o texto da Luna é lindo...escorre amor.

Rosa

Aninha Zocchio disse...

Uma iniciativa encantadora!
Um verdadeiro complemento aos seus poemas!

Nel Santos disse...

Gostei demais da conta! Seja dentro ou fora de palco!

Abraços!!!

cidinha disse...

Olá, amigo, Muito bom passar por aqui!Lindo poema. O amor é como estrela faz brilhar e inframa paixão! Grande abraço para vc.. Venha me visitar, ficarei muito feliz. Tenha um bom domingo!